Busca Livre de Imóveis

Dicas

Esquecimento pode atrapalhar a boa gestão de um síndico

Muito provavelmente você já passou por algum esquecimento. Pode ser que tenha esquecido de comprar o papel higiênico quando foi ao mercado, que tenha deixado de levar o lixo para a lixeira central pela terceira vez na semana ou ainda que tenha esquecido o farol do carro aceso e só lembrou quando alguém avisou pelo seu interfone. Se identifica ou tem alguém em casa assim?

Imagina quando além das suas responsabilidades ainda há um condomínio inteiro para gerir. Assim é a vida de um síndico contemporâneo. Nesses casos, contar com a própria memória é problema na certa e usar de recursos para que os afazeres não caiam no esquecimento é essencial.

Quer aprender a gerenciar o condomínio sem deixar tarefas importantes em algum buraco negro do arquivo mental? Confira os bons hábitos que você pode incluir na sua rotina:

Anote tudo – Seja você um adepto do bloco de papel ou alguém que prefira contar com um aplicativo de anotações no celular, o importante é não deixar a informação apenas no cérebro. Para memorizar algo alguns pontos são importantes, e atenção naquilo no momento presente é essencial.

Portanto, faça uma coisa de cada vez com atenção no acontecimento de agora. Mas, com a correria do dia a dia, especialmente de um síndico, encontrar com alguém no corredor que pediu algo e não anotar em algum local vai ficar no esquecimento. Por isso, a organização é a melhor amiga de um bom síndico. Tenha uma lista de novas anotações e organize sua lista de tarefas. Ao acordar, enumere tudo que precisa ser realizado naquele dia.

Essa organização pode ser feita de diferentes modos, dependendo de como você concilia a função de síndico com seu trabalho e vida pessoal. Se você costuma resolver pendências do condomínio ao longo do dia, você pode ter uma lista de tarefas única para sua vida pessoal, profissional e de síndico. Agora se você tem um horário exclusivo, como à noite, para colocar os assuntos do condomínio em dia, tenha uma lista específica para essas pendências.

Os nutrientes também importam – Todo o funcionamento do nosso organismo depende da ingestão dos nutrientes necessários. Com a memória não poderia ser diferente. Os alimentos são as principais fontes. Uma dieta rica em ferro, cálcio, zinco e ômega 3 é importante para o bom desempenho das funções cerebrais. Portanto, a suplementação – com orientação e supervisão médica – pode ajudar a turbinar as potencialidades da memória. O ginseng, por exemplo, não encontrado na alimentação comum, pode melhorar a memória e a concentração, ajudar a combater o cansaço, melhorar a capacidade de resolver situações de estresse e ainda fortalecer o sistema imunológico. Consulte seu médico.

Cuide da sua saúde – Exercício físico e sono contribuem para sua memória. Partindo do ponto de vista da saúde, bons hábitos são fundamentais para prevenção. A prática de atividade física diária melhora o raciocínio e ajudam na memória. 30 minutos por dia durante um mês já são suficientes para causar um efeito positivo. Além disso, dormir 8 horas por dia é essencial para a construção e manutenção de uma boa memória. Um cérebro descansado funciona melhor, por esse motivo uma boa noite de sono é indispensável.

Não há pílula mágica contra uma memória ruim. Uma boa organização da rotina e hábitos saudáveis são as melhores ferramentas para combater o esquecimento.

Fonte: Condomínios SC

Estamos à disposição, LIDERANÇA IMOBILIÁRIA LTDA.