Busca Livre de Imóveis

Notícias

Polícia e iniciativa privada unidas por mais segurança

Com poucos recursos, o batalhão de Polícia Militar de Irajá (41º BPM), na Zona Norte do Rio, instalou câmeras de segurança no entorno da unidade, compradas a partir de doações de empresários. Além disso, criou-se uma moderna sala de monitoramento para melhorar o patrulhamento. No Centro do Rio, edifícios comerciais também se uniram à polícia para tentar reduzir a criminalidade. O projeto, chamado Luz Azul, consiste na instalação de câmeras de vigilância nas fachadas dos edifícios, cujas imagens em alta definição ficarão armazenadas na nuvem e compartilhadas, em tempo real, com as autoridades da área de segurança pública.

Fruto de uma parceria entre o Secovi Rio e a empresa de tecnologia Venses, o Luz Azul, lançado em 29 de maio, já conta com a adesão de três dos maiores prédios empresariais do Centro. “O projeto Luz Azul é uma contribuição do Secovi Rio para a sociedade. Quando você melhora a sensação de segurança na cidade, você também colabora para o desenvolvimento do comércio, valorização dos imóveis e aumento do turismo. Há décadas preparamos a segurança interna dos condomínios, através de palestras e cartilhas, agora é hora de pensar na segurança externa”, explica Pedro Wähmann, presidente do Secovi Rio.

Para Fábio Oliveira Barucke, Diretor da Polícia Civil do Rio, a iniciativa do Secovi Rio é louvável. “Tem que aplaudir. Não tem mais como pensar em segurança pública sem a participação de toda a sociedade, inclusive da iniciativa privada. Esse é um conceito moderno que está cada vez mais difundido, até porque é preciso suprir de alguma forma a ausência do estado num momento de grande dificuldade financeira”.

O comandante do quartel de Irajá, Maurílio Nunes, reforça a importância da tecnologia no combate ao crime. “Comunicação é uma parte importante no planejamento das operações. O Bope também tem equipamentos sofisticados que, por questão de segurança, não revelamos. Com muito esforço, tentamos usar a contrainteligência, evitando que o tráfico nos monitore. É isso que tento trazer para o 41º BPM. A nossa principal arma agora é usar os recursos tecnológicos que pudermos dispor”, afirma.

Quer mais informações sobre o Luz AzulClique aqui.